Diferença das classes de correntes para motos

Você sabe as diferenças de classe (famílias ou modelos) das correntes para motos? Passo 420, 428 ou 520? Esse é um tema superinteressante e que gera muitas dúvidas aos motociclistas e mecânicos de motos.

diferenca-correntes-moto-01

Você sabe as diferenças de classe (famílias ou modelos) das correntes para motos? Passo 420, 428 ou 520? Esse é um tema superinteressante e que gera muitas dúvidas aos motociclistas e mecânicos de motos.

Advertisement

Na realidade as classes de correntes para motos, ou também conhecidas como famílias de correntes, nada mais são do que as especificações de cada corrente.

Essas especificações são divididas em alguns atributos que definem o tipo de uso e aplicação de acordo com cada tipo de motocicleta. Nessa matéria vamos conhecer um pouco sobre elas

diferenca-correntes-moto-01

Especificações de correntes para motos

As correntes para motos são divididas em quatro atributos, que são: dimensional, dureza, tração e fadiga. Cada termo citado influencia diretamente na aplicação da corrente de acordo com cada tipo/modelo de moto.

Mas por que isso acontece? Existem motocicletas de diferentes cilindradas e para que ela tenha um perfeito funcionamento é necessário que a corrente esteja coerente com a necessidade dela. Ou seja, é como usar a ferramenta certa para uma finalidade específica.

Vamos conhecer o que é cada uma das especificações:

  • Dimensional: São as dimensões de cada componente da corrente, coroa e pinhão.
  • Dureza: É o quanto o material resiste a deformação quando é aplicado uma força sobre ele.
  • Tração: Quando exerce força em sentido contrário.
  • Fadiga: É o esforço contínuo/repetitivo sobre o componente.

corrente-ou-correia-qual-melhor-01

A necessidade de cada família é definida pelo torque (força do motor) e essa necessidade é desenvolvida pela fabricante de motos através de normas nacionais e internacionais. Quanto maior o torque, maior resistência é necessário no conjunto de transmissão da motocicleta.

Logo, você não vai querer utilizar uma corrente projetada para um motor com menor torque em uma moto com maior torque (força que o motor possui), pois os riscos de causar acidentes pelo rompimento da corrente por forçar mais do que ela pode suportar são imensos.

Por sua vez, a utilização contrária, corrente mais reforçada em uma moto que gera menos força (torque menor), pode causar perda de potência no motor, aumento do gasto de gasolina e diminuição da vida útil do motor da sua motocicleta.

02-corrente-moto-retentor-oring

Classes das correntes para motos

Agora vamos mostrar como são definidas as classes de correntes para motos e para que servem cada ponto analisado:

diferenca-correntes-moto-02-passo

  1. Passo da corrente = é a distância entre os centros dos pinos da corrente.
    Esse passo define um dos pontos que aumentam a resistência da corrente. Quanto maior o passo da corrente, maior a resistência.

  1. Passo da coroa e pinhão = é a distância entre os centros do fundo do dente.

  1. Diâmetro dos roletes da corrente = Os roletes possuem diâmetro específico para cada classe/passo.

  1. Espessura da coroa e pinhão = Para cada classe/passo temos espessuras diferentes:

Esses três pontos (passos, diâmetro e espessura) são o que define qual o encaixe da coroa e pinhão na corrente da moto. O encaixe dos roletes da corrente na coroa e pinhão devem ser perfeitos para o funcionamento ideal do kit transmissão.

Com isso, se a moto sai de fábrica com um kit transmissão contendo peças da classe/passo 428H/428HO o motociclista não conseguirá trocar só a corrente para classe/passo 520H/520HO, pois a corrente não irá encaixar (“montar”) nos dentes da coroa e pinhão da classe/passo 428h/428HO.

Como isso ajuda o motociclista no dia a dia

Apesar do assunto ser extremamente técnico, você deve estar se perguntando: Como posso utilizar esse conhecimento na minha rotina de motociclista?

Bom, essa informação lhe ajudará na escolha do kit certo para sua moto. Também auxiliará em casos de alguém oferecer um kit diferente, pois você terá conhecimento para dizer que “isso não é verdade, não vai ‘montar’ e pode colocar a minha vida em risco”.

Então fique atento as especificações da sua motocicleta para que não corra risco de aplicar uma corrente de classe diferente do que é aconselhado pela montadora. Desta forma, você vai evitar acidentes ou desgastes precoces de outros itens da sua motocicleta.

Kit Transmissão Riffel

Esse conteúdo foi criado através da nossa parceria com a Riffel Moto Peças, uma marca genuinamente brasileira e referência no segmento de moto-peças no mercado nacional, em uma série de dicas e informações sobre manutenção de motos. Principalmente quando o assunto é kit transmissão.

Por ser uma marca feita de motociclistas para motociclistas e estar no mercado há mais de 20 anos, a Riffel tem experiência e embasamento suficiente para trazer informações técnicas precisas para nos auxiliar a entender melhor algumas partes das motos.

A marca também oferece diversos produtos de alta qualidade, como é o caso do seu Kit Transmissão TOP, produzido em aço 1045 Riffel, que oferece rendimento muito superior ao exigido pelo INMETRO. Ele possui corrente com retentor (O’RING), que garante uma maior durabilidade do conjunto e é indicado para motociclistas que rodam bastante todos os dias.

Advertisement



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *