Home » Acima de 600cc » Volta da Dragstar 650 cairia bem no Brasil?

Volta da Dragstar 650 cairia bem no Brasil?


19 jul 2017 12 Comentários

Você se lembra da Yamaha Dragstar 650, um modelo que já esteve à venda por aqui e é bem conhecido do público brasileiro?

Ela é uma motocicleta com estilo clássico, motor V-Twin e transmissão por eixo cardã, que brigou muito no segmento das Customs junto com a famosa Honda Shadow.

Esse modelo saiu de linha no mercado brasileiro em meados de 2008/2009 para dar lugar a uma versão maior, e mais cara, a Yamaha XVS 950.

Será que o retorno dessa versão de 650cc, que ainda existe no mercado internacional, cairia bem no Brasil? Vamos ver um pouco de sua história e os detalhes da versão 2017.

Yamaha V-Star Dragstar 650 2017 Branca

A Yamaha Dragstar 650, chamada de V-Star 650 no mercado americano onde é vendida até os dias de hoje, começou a ser fabricada em 1997 e teve origem em sua irmã menor e ainda mais velha, a Virago 535.

Aqui no Brasil ela chegou no ano seguinte, 1998, e saiu de linha cerca de uma década depois, entre 2008 e 2009.

Na época em que era vendido por aqui o modelo foi uma ótima opção para a galera das motos Customs, tinha um design atraente e linhas marcantes, mas muito semelhantes a sua principal concorrente, a Honda Shadow.

Yamaha V-Star Dragstar 650 2017 Branca Frente

Yamaha V-Star (Dragstar) 650 2017

Na sua versão Custom 2017 americana, chamada V-Star 650, o design e estilo continuam praticamente o mesmo. Parece a mesma motocicleta de muito tempo atrás com seu motorzão V-Twin a mostra, detalhes em preto, peças cromadas e o característico estilo baixo de pilotagem.

Nesse modelo atualizado os cromados ganham ainda mais destaque e estão por toda parte, desde retrovisores, aro do farol e suportes de piscas, até detalhes em seu motor, parte do eixo cardã e os característicos escapamentos duplos.

Yamaha V-Star Dragstar 650 2017 em ação

Outros detalhes que marcam o modelo são a enorme roda de 19 polegadas na dianteira e o largo pneu que veste a roda de 15 polegadas na traseira, deixando ela com aparência de ser um pouco maior que uma 650cc.

Yamaha V-Star Dragstar 650 2017 Motor

Na parte mecânica ela continua equipando seu motor V2 carburado de 649cc, refrigerado a ar, com comando simples no cabeçote que gera um torque de 5,2kgf.m já aos 3mil giros.

Esse motor foi projetado para fazer menos vibrações possíveis e produzir ótimo torque e potência na faixa de velocidade mais útil, entre os 50 e 110km/h.

O câmbio é de 5 velocidades e sua transmissão final é por um eixo do tipo cardã que fica exposto e que exige menos manutenção que uma transmissão por corrente, por exemplo.

Yamaha V-Star Dragstar 650 2017 eixo cardã

A suspensão dianteira é por garfo telescópico com 41mm de diâmetro e 140mm de curso, enquanto que na traseira a suspensão é monoshock com ajuste de pré-carga da mola em 7 estágios.

Os freios da V-Star 650 são a disco na dianteira, com 298mm, e a tambor na traseira. Seu tanque tem capacidade para 16 litros de combustível e o seu consumo médio é de quase 21km/l segundo o site oficial.

Yamaha V-Star Dragstar 650 2017 Preço

No mercado dos Estados Unidos essa Yamaha V-Star 650 2017 é vendida por US$7mil dólares, que em uma conversão direta, sem impostos ou taxas para, a cotação atual ficaria na casa dos R$21mil reais.

Algo bem abaixo do valor pedido por sua irmã maior aqui no Brasil, a Yamaha XVS 950, que até o final do ano passado ficava na casa dos  R$40mil.

Será que um nova Custom de 650cc como a V-Star ou DragStar 650 cairia bem no Brasil? Ou seria melhor o retorno da saudosa Honda Shadow? Responde aí embaixo nos comentários

Yamaha V-Star Dragstar 650 2017 Ficha Técnica

Ficha Técnica Yamaha V-Star (Dragstar) 650 2017

 

Motor V-twin , refrigerado a ar, SOHC, 4 válvulas (2 válvulas / cyl), 70 °
Cilindradas 649cc
Torque Máximo 5.2kg-m (37.6 ft-lb) @ 3.000 rpm
Câmbio 5 velocidades
Transmissão Final Eixo
Suspensão Dianteira Garfo de 41mm / 140mm (5.5 “) de roda
Suspensão Traseira Monocross / 86mm (3.4 “) curso da roda
Freio Dianteiro Disco 298mm / pistão duplo
Freio Traseiro A Tambor
Pneu Dianteiro 100 / 90-19
Pneu Traseiro 170 / 80-15
Tanque de Combustível 16 litros (3,5 galões)
Consumo Combustível 20.7km/l
Peso Total 233 kg
Cores Branco

Yamaha V-Star Dragstar 650 2017 Yamaha V-Star Dragstar 650 2017



12 Comentários para "Volta da Dragstar 650 cairia bem no Brasil?"

  1. Tenho uma DragStar 650 ano 2005 que só me dá prazer. Concordo com quem disse que falta o marcador de combustível no painel; falta um freio a disco na traseira e até um sistema ABS. Somando-se a isso tudo, o sistema de injeção eletrônica a tornaria 100% perfeita, na minha opinião obviamente.

    mas, primeiro não creio que ela volte às linha de produção no Brasil, tendo em vista que tanto a Yamaha como a Honda preferiram descontinuar a produção das custons, perdendo terreno e clientela para a Harley e outras que estão abocanhando esse mercado crescente no Brasil.

    Quanto a injeção eletrônica, lembremos… Isso é brasil, vejam o que o idiota do Deputado paranaense fez:

    https://www.camara.leg.br/noticias/420178-camara-rejeita-injecao-eletronica-obrigatoria-em-motos/

  2. DRAG STARXVS 650 uma moto maravilhosa mas não vai voltar para o Brasil, eu duvido muito que isso aconteça, queria mesmo acreditar mas como as demais, além que o preço viria bem salgado já que viria injetada, o pior e que o público dessas motos não gigantesco, e no Brasil só querem mesmo vender, a uma diferença no tratamento da Yamaha no Brasil que na Europa, e EUA, além que no Brasil essas revendedoras não ´prestam um bom serviço, ai coisa fica bem difícil, gente vamos cair na real, isso Brasil…

  3. Minha opinião seria ótimo, afinal teríamos mas concorrência, opções e esta moto é muito boa. Hoje existe um mercado crescente para motos custons.

  4. Sou proprietário de uma e apenas me queixo da falta de um marcador de combustível, no restante é perfeita, leve, ágil no transito na cidade e na estrada é show, confortável além de bela e estilosa.
    Troco por uma nova sem medo.

  5. olha sou proprietário de uma e a única reclamação é a falta de um marcador de combustível, no restante é uma máquina perfeita, leve, versátil no transito da cidade e boa de asfalto, sem falar no conforto. Pode vir sem medo!!!!!!!!!

  6. tô esperando a Bolt 950 e não chega nunca.

  7. Sem dúvidas faria sucesso! Mas precisaria ser atualizada em vários pontos, a exemplo, como já sugerido aqui, injeção eletrônica, freio a disco na traseira medidor de combustível, freios abs (seria ótimo). O problema seria o “preço Brasil” que jogaria os compradores em direção às concorrentes.

  8. Bela moto, mas carburador nos dias de hoje não dá, teria que ser injeção eletrônica.

  9. Sim , faria sucesso aqui , sem carburador é claro !!!

Deixe uma resposta