Ducati apresenta elétrica que atinge 275 km/h

Nova Ducati Elétrica V21L competirá na MotoE do MotoGP e já atingiu impressionantes 275 km por hora!

A marca italiana Ducati apresentou detalhes técnicos da sua primeira moto elétrica, o protótipo Ducati V21L.

Advertisement

O modelo foi construído para ser utilizado no campeonato de motocicletas elétricas da MotoGP, a Copa do Mundo de MotoE.

Em testes, a novidade já alcançou impressionantes 275 km/h.

Ducati apresenta sua primeira moto elétrica 

Em 2023, o protótipo Ducati V21L vai substituir as atuais motos Energica Ego Corsa, que são utilizadas na MotoE desde a criação da categoria, em 2019. Com isso, todos os times que competem na classe vão utilizar as motos elétricas da fabricante de Borgo Panigale.

Vale lembrar que na MotoE o Brasil é representado pelo piloto paulista Eric Granado. Ele compete na categoria desde o primeiro ano de realização do campeonato. Além disso, teve como melhor resultado na série um 3º lugar no Mundial de pilotos, em 2019.

Com isso, Granado e demais concorrentes vão pilotar em breve a V21L, que nasce especialmente para a categoria de motos. Mais do que uma divisão de corridas, a classe é um intenso laboratório para o desenvolvimento de novos modelos.

  • Pneu de moto com desconto especial usando cupom SEKU7 clique aqui: Pneu com Desconto

E neste primeiro momento, o projeto do protótipo uniu designers ao pessoal da divisão de corridas da Ducati. Mais precisamente, o Centro Stile Ducati criou a pintura da moto. Enquanto a Ducati Corse atuou no de sign de peças eletrônicas, controles e estratégias de software, além de realizar simulações da dinâmica e aerodinâmica da motocicleta.

Ducati V21L

A Ducati já forneceu recentemente alguns dados da V21L. Segundo a fabricante, a moto elétrica entrega 110 kW (150 cv) de potência máxima e 14,3 kgf.m de torque em um conjunto que pesa 225 kg. Em testes, essa italiana alcançou 275 km/h de velocidade máxima no circuito de Mugello.

A bateria da V21L pesa 110 kg e oferece uma capacidade de 18 kWh, tendo uma tomada de carregamento de 20 kW integrada na rabeta.  O inversor pesa apenas 5 kg, sendo derivado de uma unidade utilizada em veículos elétricos que competem. Já o motor em si pesa apenas 21 kg e atinge rotação máxima de 18.000 rpm.

Mas segundo a Ducati, um dos destaques da nova moto elétrica está no sistema de refrigeração. A V21L utiliza um sistema líquido sofisticado e que promete ser mais eficiente que a Energica Ego Corsa, com um circuito duplo projetado para atender às diferentes necessidades térmicas da bateria.

Conjunto de corrida!

A Ducati V21L, assim como a Panigale V4, vem com muita fibra de carbono. Na elétrica, o material é usado no chassi e na área frontal. Enquanto isso, o quadro do monocoque é de alumínio e pesa 3,7 kg.

Na traseira, o braço oscilante em alumínio pesa cerca de 4,8 kg e tem sua geometria idêntica a da Ducati Desmosedici que corre na MotoGP. Já o subquadro traseiro, que integra a cauda e o assento do piloto, é feito também em fibra de carbono.

A V21L tem na dianteira garfo pressurizado Öhlins NPX 25/30 com tubos invertidos de 43 mm de diâmetro na frente, uma unidade derivada da Ducati Superleggera V4. Enquanto na traseira, a suspensão fica a cargo do amortecedor Öhlins TTX36 – sendo totalmente ajustável.

Segurando a máquina elétrica, vemos os freios da Brembo. Na frente são discos duplos de aço com 338,5 mm de diâmetro e duas pinças GP4RR M4 32/36 – junto do cilindro mestre radial PR19/18. Na traseira o sistema de freio tem pinça P34 e disco único de 220 mm – junto do cilindro mestre PS13.

Demais detalhes e resultados de testes em pista ainda serão revelados em breve pela Ducati. Tudo isso, enquanto aguardamos a estreia da V21L na MotoE em 2023.

Advertisement

Autor do Artigo


Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários