Entrevista sobre o 1º Encontro Sul-Americano de Itajaí, com Mello

Essa é uma entrevista ao coordenador na área de shows do 1º Encontro Sul Americano de Motociclismo de Itajaí, Mello, presidente do Moto Grupo Cavaleiros  do Litoral. Como os shows foram algo que chamou a atenção, nós do Motoblog/Motorede resolvemos fazer algumas perguntas relacionadas as bandas e shows.

Advertisement

Motoblog/Motorede (Seku) – Mello, todos sabemos que o evento foi um sucesso,  você atribui esse sucesso a que?

Mello – Primeiro aos organizadores do evento que eu gostaria de citar seus nomes, o Jucélio João da Silva que é administrador financeiro da Fundação Cultural, o Sávio coordenador e secretário do evento, o Régis que é um dinossauro do motociclismo de Itajaí, o Ulísses com ideias de organização e com muito conhecimento sobre eventos pois foi presidente da AMO de SC, o Gero e a Ana Paula coordenadores na área dos shows acrobáticos de motocicletas, o Robson coordenador da área de alimentação, o Gilberto e o Renato na coordenação Geral, o Sidney coordenador da área de Segurança e limpeza do parque, e também o meu nome, Mello coordenador da área de Shows e Bandas, para completar a lista dos 11 coordenadores e 8 moto grupos envolvidos na organização do evento.
O sucesso do 1º Encontro Sul-Americano de Motociclismo de Itajaí se deu devido a localização do evento, o Centreventos Parque da Marejada, ao empenho dos organizadores pela boa distribuição das áreas dentro do Parque da Marejada, onde haviam várias placas indicativas, estacionamentos adequados a cada estilo de moto organizando as customs, triciclos e esportivas, área para camping bem localizada, área de show acrobáticos de motocicletas, stands com exposição de motos e venda de acessórios bem localizados e uma praça de alimentação adequada foram grandes fatores para o sucesso deste grande encontro, isso tudo associado a toda a organização dos coordenadores envolvidos.

Motoblog/Motorede (Seku) – Vamos falar um pouco da sua área, os shows, o som do evento foi muito elogiado e as bandas também, ao todo quantas bandas passaram pelo evento?

Mello – Bem, nós fomos criteriosos na escolha das bandas, pois queríamos que fossem bandas que tocassem o Rock’n’Roll puro e que não houvesse intervalos entre a troca de bandas, ou seja, sai uma banda em seguida já começa a outra pra manter o público sempre agitado. Realmente isso se concretizou no evento.

Motoblog/Motorede (Seku) – E qual foi na sua opinião o ponto alto ou o que mais se destacou no evento?

Mello – Ficaria até chato eu falar que uma banda foi melhor que a outra pois todas foram ótimas, mas Zézito Seixas, de Tubarão/SC, me surpreendeu pelo seu carisma, ele é “o cara”, na sexta-feira ele ficou mais de uma hora depois do show dando autógrafos e tirando fotos com todo mundo, era marmanjo, casais, mulheres, todo mundo queria registrar o momento com o Zézito.

Motoblog/Motorede (Seku) – Mello, teria alguma banda que você queria trazer mas não trouxe?

Mello – Muitas! Até durante o evento tinha gente me procurando se ainda poderiam tocar. Tem duas bandas que infelizmente não deu para trazer já que tínhamos uma verba limitada para as bandas, e um dos problemas que encontramos foi na busca de patrocinadores pois era o 1º evento desse gênero aqui na região e as empresas não apostaram muito no sucesso do evento, somente em cima do evento é que conseguimos patrocinadores. As bandas que eu gostaria de trazer e que não vieram foram o Aphoterock do Sandrão do Rio de Janeiro que foi escolhida por três anos consecutivos a melhor banda de rock que toca em encontros no Rio, e a outra banda é a Kid Cegonhas do Rio Grande do Sul.

Motoblog/Motorede (Seku) – Mello, muita gente que acompanhou as bandas disseram que esse encontro parecia um festival de Rock, o que você diz sobre disso?

Mello – Essa comparação talvez tenha acontecido por causa do repertório das bandas que era só Rock’n’Roll (dos anos 60 e 70) e também porque as bandas foram se alternando num total de 20 horas de som, durante os pequenos intervalos o DJ Mimo animava a galera só com músicas do mesmo estilo.

Motoblog/Motorede (Seku) – Na sexta-feira o som foi até 1h15 da madrugada e porque no sábado os shows tiveram que ser adiantados e o som terminou a meia noite?

Mello – Olha Seku, esse foi o maior fantasma para nós organizadores do evento. Na sexta-feira quando a banda Bill Bird estava no final da sua apresentação, recebemos um comunicado oficial para desligar o som, com possibilidade de haver uma interdição judicial ao evento. No sábado de manhã tivemos uma reunião de emergência com os organizadores e chegamos a um acordo, desligar o som a meia noite de sábado. Entre esse acordo estava também de não funcionar o dinamômetro, e a zoeira ficar  controlada, como já estava desde o início do evento.
Bem, a partir daí houve um remanejamento nos horários das bandas. No programa original a banda Dazaranha tocaria no sábado das 0h00 às 2h00 da madrugada e tivemos que adiantar o show para começar as 22h00 e terminar as 0h00. Por esses imprevistos que a organização pede desculpas a todos os motociclistas que vieram prestigiar o evento.

Motoblog/Motorede (Seku) – Dentre todas as bandas que tocaram no evento, teve alguma que era de fora do Brasil?

Mello – Sim, a banda “Los Manos”, que é uma banda da Argentina tocou no sábado, e por sinal é uma banda muito boa, deram uma canja junto com o cover de AC/DC.

Motoblog/Motorede (Seku) – Mello, e o Segundo Encontro Sul-Americano vai rolar?

Mello – O resultado foi além do esperado e com certeza faremos o segundo, até já se falou em outros belíssimos lugares que são o Parque da Atalaia, Molhe da Barra e a terceira opção seria o Parque do Agricultor onde já foram realizados 2 eventos do gênero.

Motoblog/Motorede (Seku) – Mello, suas afirmações finais…

Mello – Eu só tenho que agradecer a todos os motociclistas que prestigiaram o evento, e as bandas que mostraram muito profissionalismo. “Evento de Motociclistas também é cultura! ”

Advertisement



3 comentários em “Entrevista sobre o 1º Encontro Sul-Americano de Itajaí, com Mello

  1. Itajaí por ser uma cidade Portuária com certeza deu exemplo de Organização no Evento. Cidade limpa e pronta para receber com certeza turítas do mar, do ar e os Bi-rodais como nós que gostamos do motociclísmo.Estamos esperando o próximo…..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *