Nova Kawasaki Z 650RS cairia bem no Brasil?

Visual retrô, clássica moderna, sinônimos que definem um “novo” estilo, tendência usada na Kawasaki Z650RS.

Advertisement

Essa Kawasaki foi anunciada ao mercado internacional em setembro, após a marca japonesa apostar no conceito Retrovolution, ou melhor retrôvolução.

Sendo uma naked com linhas clássicas, em uma moto de tecnologia moderna, o modelo é baseado na Z900RS.

Nova Kawasaki Z 650RS

O estilo da Kawasaki Z650RS bebe diretamente da fonte visual da Z650-B1, de 1977. Aos mais atentos é possível notar que a pintura e gráficos reproduzem fielmente o conceito do modelo dos anos de 1970.

Como de praxe, o farol é redondo na dianteira,  um item que parece quase que obrigatório em um projeto retrô. Mesmo o moderno painel da central digital divide espaço entre dois mostradores redondos – e analógicos – com conta-giros e velocímetro.

Aliás, falando em cores, são oferecidas três opções para a Z650RS, que conta com o preto metálico e o cinza com preto. Sem esquecer claro do verde esmeralda, que completa e é a própria expressão do revival setentista da nova média cilindrada.

  • Entre no grupo do Motorede no Telegram, saiba tudo em primeira mão e interaja diretamente: t.me/Motorede

Kawasaki Z650RS Motor

A Kawasaki tem apostado alto no nicho das clássicas modernas. É possível perceber isso desde o lançamento em 2018 da Z900RS, inspirada na Z1. Esse modelo revivido na última década conta com um motor quatro-em-linha de 948 cm³, rendendo 109 cv de potência. O que faz da Z900RS não exatamente uma escolha tranquila para entusiastas mais iniciantes.

Pensando nisso, a Kawasaki trabalha na Z650RS como uma alternativa mais dócil, usando um bicilíndrico de 649 cm³ com refrigeração líquida. O propulsor é o mesmo encontrado nas Ninja 650 e Z650 atuais, e que produz potência máxima de 68 cv em 8.000 rpm e 6,7 kgf.m de torque máximo a 6.500 rotações.

Dessa forma, a Z650RS chega na Europa também com a opção de ser disponibilizada, em uma versão, destinada a portadores da habilitação A2. Claro, com a adição de itens de controle de potência.

Em resumo, o conceito da Kawasaki Z650RS se inspira diretamente nas Z650, da segunda metade dos anos 70. A moto de época trazia um motor de quatro cilindros, com 652 cm³ e 64 cv. Para os antigos padrões ela chegava próxima de rivalizar com a irmã maior Z900 Super Four em se tratando de desempenho.

Kawasaki Z650RS Especificações Técnicas

A recém-chegada Z650RS tem visual retrô, mas não se engane, é uma moto totalmente moderna. Ela conta com estrutura em treliça tubular, suspensão dianteira com garfo de 41 mm, e um link horizontal na traseira, com amortecedor com ajuste na pré-carga.

O banco é posicionado a 820mm do solo, mas também existe a opção de assento rebaixado. Com o acessório é possível reduzir essa altura em 20mm. Uma boa para quem quer e gosta de garantir o pé firme no chão.

Para segurar todo esse conjunto os freios são da Nissin, com discos de 300mm na frente e pinças de pistão duplo. Na traseira fica um disco simples de 200mm com pinça de pistão único, com tudo auxiliado por um sistema Bosch.

Kawasaki Z650RS Preço

A nova Kawasaki Z650RS 2022 na Europa, em específico no mercado inglês, parte das 7.549 libras esterlinas. O que em conversão direta fica na casa dos mais de R$ 55 mil. No mercado do velho continente, o modelo deve chegar às concessionárias em novembro.

Para o mercado do Brasil a marca japonesa ainda não deu informações a respeito de uma possível importação do modelo. Aqui no país ela entraria na fatia de mercado das “clássicas modernas”. Além disso, mesmo sendo mais potente poderia ser uma alternativa a Royal Enfield Interceptor 650.

Por sua vez, a Indiana conta na mecânica com o motor bicilíndrico de 648 cm³ ,que entrega potência máxima de 47 cv a 7.100 rpm e torque de 5,3 kgf.m a 4.000 rpm. O preço da Interceptor 650 parte dos R$ 25.990.

Se vamos ver a Z650RS nas ruas com as opções retrô já disponíveis em terras nacionais, só o tempo dirá.

Advertisement

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários