Test-ride BMW G 310 GS: espertinha e ágil

Pequena Trail da BMW, nova G 310 GS se mostrou espertinha e ágil para uso nos grandes centros urbanos. Veja nossa avaliação sobre a nova Trail Premium na faixa de 300cc da BMW!

Test-ride BMW G 310 GS em Floripa

Pequena Trail da BMW, nova G 310 GS se mostrou espertinha e ágil para uso nos grandes centros urbanos.

Advertisement

Modelo chega para completar a estratégia da fabricante alemã de entrar no mercado das médias/baixas cilindradas completando o line-up junto com a roadster G 310 R, que já é vendida no Brasil desde o ano passado.

Testamos a “Baby GS” em um evento da BMW Motorrad em Florianópolis, Santa Catarina, e vamos contar nossa impressão abaixo. Assista o vídeo do test-ride no final deste artigo.

Test-ride BMW G 310 GS em Floripa

Nova BMW G 310 GS 2018

Com preço sugerido de R$ 24.990,00 a BMW G 310 GS foi apresentada no último Salão Duas Rodas, onde podemos ver de perto os detalhes da pequena ‘aventureira’ que a BMW estava prometendo há algum tempo.

Chegando às lojas recentemente, esse é o período de colocar a novidade nas ruas e sentir seu motor monocilíndrico em ação, ouvir seu ronco e perceber o que ela tem de diferente da sua irmã naked, a G 310 R.

Tirando o estilo, uma Trail e outra Roadster, as duas possuem bastante coisas em comum, tanto na parte mecânica e técnica, quanto no pilotagem e estilo.

Test-ride BMW G 310 GS em Floripa

Diferente da naked de baixa cilindradas da BWM, que testamos em uma pista de kart (assista o vídeo), pilotamos a G 310 GS no trânsito da área continental da capital mais cheias de belas praias do país, Florianópolis, em Santa Catarina.

A pequena Trail se mostrou uma ótima opção para uso urbano. Sua posição de pilotagem, com guidão alto (bom para o corredor) e assento confortável, aliado as rápidas respostas do motor de 313 cc confirmam que sua “praia” realmente é o asfalto.

As rodas com aro de liga-leve reforçam o apelo da “Baby GS” pelo asfalto, mas seu visual deixa claro que podemos encarar a terra a qualquer momento. E uma prova disso é a opção de poder desligar o ABS, nas duas rodas, a qualquer momento.

Test-ride BMW G 310 GS Cor Vermelha

Respostas do motor da BMW G 310 GS

Seu motor é o mesmo monocilíndrico de 313 cc, 4 tempos, 4 válvulas com duplo comando e refrigeração líquida da G 310 R. Esse propulsor é capaz de gerar a potência máxima de 34 cavalos a 9.500 RPM e torque máximo de 2,85 kgf.m aos 7.500 giros.

Durante o pequeno percurso que rodamos foi possível observar que as duas versões rodam de forma muito parecidas. O motor tem respostas rápidas, mas funciona melhor sempre em alto giro. A vibração é típica de um monocilíndrico, assim como o ronco.

Algo que chamou a atenção na G 310 GS foram dois apagões que ocorreram no motor durante o teste. O primeiro aconteceu logo após parada em um cruzamento e o outro, que deu certo susto, foi em uma subida de curva bem fechada onde a velocidade teve quer ser muito reduzida.

Test-ride BMW G 310 GS Cor Preta

Ciclística e conforto durante teste na G 310 GS

Outro ponto que foi mais chamativo, agora positivamente, foi a ciclística e agilidade da novidade.

Como era um sábado logo após o almoço, início da tarde, o trânsito estava moderado e exigiu algumas trocas de pista e ultrapassagens. E foi aí que a “Baby GS” mostrou o seu melhor: ciclística acertada com confortado ideal para o asfalto.

As entradas em curvas puderam ser atacadas facilmente pela motocicleta trail de quase 170 kg (169,5 kg e ordem de marcha para ser mais exato). Simplesmente parecia que a G 310 GS se encaixava de uma forma única nas curvas.

Test-ride BMW G 310 GS Cor Vermelha

Grande parte dessa sensação se dá pela suspensão dianteira invertida com 41 mm de diâmetro, típica de uma motocicleta Premium e até certo ponto incomum nas baixas cilindradas por aqui, e a suspensão traseira monoshock com 180 mm de curso.

Mesmo as rodas não sendo raiadas, com 19 polegadas na dianteira e 17 na traseira, a nova 310 GS absorveu bem as imperfeições da pista, alguns buracos e até a descida e subida na calçada de onde partimos para o test-ride.

Test-ride BMW G 310 GS Cor Preta

Cores da BMW G 310 GS: qual a mais bonita?

Na parte visual a nova BMW G 310 GS dispensa comentários, ela entrega exatamente o que uma motocicleta da fabricante alemã deveria entregar: ótimos acabamentos e visual exclusivo.

O apelido de “Baby GS” não é à toa. Visualmente falando ela é praticamente uma versão “miniaturizada” das motocicletas Bigtrails da consagrada família GS.

A novidade está disponível em três cores, Vermelho, Preto e Branco. A mais bonita de todas? Segundo nossa opinião, sem dúvidas é a Preta. A cor, combinada com os tons de cinza, deram um ar de imponência e robustez perto das outras duas.

Test-ride BMW G 310 GS Painel Digital

O painel de instrumentos da 310 GS é o mesmo da 310 R. Totalmente digital, condiz com a proposta de estilo Premium ao vir equipado com computador de bordo com consumo médio e instantâneo, autonomia, relógio, indicador de marchas e temperatura do motor.

Test-ride BMW G 310 GS Preço Oficial

Com preço sugerido de R$ 24.990,00 direto na concessionária, a nova G 310 GS se mostrou uma boa trail de baixa/média cilindrada Premium.

É uma ótima opção para quem já tem modelo de alta cilindrada e gostaria de uma pequena trail para utilizar no dia a dia. Prova disso é que o bagageiro da 310 GS já vem com encaixes de fábrica que aceitam os mesmos equipamentos usados na 1200 GS, por exemplo.

Vídeo test-ride BMW G 310 GS

Test-ride BMW G 310 GS Bagageiro

Advertisement



2 comentários em “Test-ride BMW G 310 GS: espertinha e ágil

  1. otima alternativa. Mas e o futuro. talvez pra quem tem uma “condição” seja uma otima pedida, mas pros simples mortais, que precisam se preocupar com coisas como custo de manutencao e peças, talvez seja melhor esperar um pouco. Ja fui abandonado pela jtoledo, não pretendo tomar bola nas costas de novo. abcs

    1. Então José! Talvez não seja questão de “ser abandonado”, mas realmente o foco dessa 310 GS e da R é um público específico, acredito. Pois, além do custo um pouco superior da moto em si ainda temos os custos de manutenção e uso. Abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *