Home » Destaques » A partir de 2016 motos também usarão a nova placa unificada pelo Mercosul

A partir de 2016 motos também usarão a nova placa unificada pelo Mercosul


24 out 2014 18 Comentários

Em reunião na Argentina o grupo do Mercosul, composto por Brasil, Argentina, Uruguai, Paraguai e Venezuela, definiram o novo sistema de placa unificada à ser utilizado nos veículos dos cinco países a partir de 2016. A nova placa manterá as mesmas dimensões das já utilizadas no Brasil, segundo informação noticiada no site do governo, e também possuirá a mesma quantidade de caracteres, porém, agora será composta por duas letras, três números e mais duas letras (Exemplo: AB 123 CD).

As motocicletas de todos os países do Mercosul também serão obrigadas a utilizar a nova placa. Para a tristeza de alguns que acharam que ela poderia ficar menor, seu tamanho será o mesmo que equipa as motos atuais, mudando apenas os caracteres e cores. Na verdade, para as motocicletas o sistema adotará uma divisão/ordem diferente, mas se manterá com o mesmo total de 4 letras e 3 números.

Motos nova placa unificada pelo Mercosul

Nova placa unificada para motos no Mercosul

Com um design semelhante aos países que integram a União Européia, a nova placa de veículos do Mercosul possui fundo branco com faixa azul na parte superior. Haverá ainda o símbolo do Mercosul no lado superior esquerdo, o nome do país ao centro e a bandeira do país de origem do veículo no canto superior direito.

Ao contrário de como é atualmente, onde a cor da placa que diferencia o tipo de uso, agora será a cor da letra que irá diferenciar se o veículo é um carro particular, oficial ou de colecionador, por exemplo. Veja as cores para cada tipo de uso:

Cores da nova placa por tipo de veículo

  • Particular: letras pretas
  • Comercial: letras vermelhas
  • Oficial: letras azuis
  • Colecionador: letras cinza
  • Especiais: letras verdes
  • Diplomático: letras douradas/marrom

Motos nova placa unificada pelo Mercosul

Tipo de cor da nova placa Mercosul

No Brasil a mudança está prevista para acontecer gradualmente, informou o Ministério das Relações Exteriores. A partir de janeiro de 2016 a nova placa será obrigatória para os veículos novos, na hora do primeiro emplacamento. O mesmo vale, a partir de janeiro de 2016, para veículos que passarem por transferência de propriedade ou mudança de local do emplacamento.

Motos nova placa unificada pelo Mercosul

A nova placa permitirá até 450 milhões de combinações diferentes. No Brasil o sistema atual de placas, com três letras e quatro números, permitiria uma variação de 175 milhões de combinações possíveis que duraria no máximo até 2030. Portanto o novo sistema de placas do Mercosul vem para desafogar um pouco essa limitação.

Na Argentina o caso é ainda mais extremo, pois o sistema atual (três letras e três números) permitiria 140 milhões de combinações possíveis, tornando o sistema limitado ano máximo até 2015. Isso indica que provavelmente a nova placa de veículos do Mercosul já começará a valer a partir do ano que vem na Argentina.

Esta unificação do sistema de placas visa facilitar a circulação, fiscalização e segurança dos veículos que transitam entre os cinco países do Merocosul, afirmou o Itamaraty. O que você acha da nova placa? Conte pra gente aí embaixo…



18 Comentários para "A partir de 2016 motos também usarão a nova placa unificada pelo Mercosul"

  1. Aqui em Fortaleza a placa é gigante, será mantida no mesmo padrão? Na minha moto fica parecendo uma tábua de bater carne.

  2. uma Questão, Se o nosso sistema de placas, com 3 letras e 4 números permite 175 milhões de combinações e teria capacidade de suportar nossa frota até 2030, o da Argentina com 3 letras e 3 números permite 140 milhões de combinações e suportaria a frota argentina até 2015, isso quer dizer que somadas as frotas do Brasil e Argentina seriam um total de no mínimo 315 milhões de veículos até 2030, e se esse novo sistema tem capacidade para até 450 milhões de combinações, isso quer dizer que os demais países do Mercosul (Uruguai, Paraguai e Venezuela) não poderão somar mais de 100 milhões de veículos no total se suas frotas pois corremos o risco de já nascer com um sistema de placas de combinação insuficiente e obsoleto…. Ah tá…

  3. Como ficará para pagamento do documento (leia-se IPVA e outros)?
    Visto que, por exemplo, no RJ se faz vistoria e o valor do IPVA é maior que no ES, sendo que no ES não se tem vistoria anual.
    Falta detalhes importantes neste informativo…

  4. ” começará a valer a partir do não que vem na Argentina.”

    Errinho de digita~ção que deixou a frase estranha :P

  5. Pelo menos tem uma coisa boa: não existirá mais a tarjeta de cidade / estado, como nos países da Europa. Transferências de veículos no Brasil não precisarão mais trocar a tarjeta

    • Boa observação @fabioluizbraggio:disqus, uma economia a mais. Vale lembrar que a nova placa será obrigatória na hora do primeiro emplacamento das motocicletas 0km ou para as que passarem por transferência de propriedade ou mudança de local do emplacamento após 2016.

  6. Acho que é mais uma forma de arrecadar dinheiro, e quem irá pagar a conta é a população.

  7. Quem vai pagar a conta para trocar as placas?

Deixe uma resposta